Notícias

8 de Fevereiro de 2019

Discurso de Abertura do Vice - Governador do Banco Nacional de Angola, Manuel António Tiago Dias, na Reunião do Subcomité dos Mercados Financeiros do CCBG

Exmos. Representantes do Subcomité dos Mercados Financeiros do Comité de Governadores dos Bancos Centrais da SADC (CCBG);
Exmos. Representantes do Comité das Bolsas de Valor da SADC;
Exmos. Representantes do secretariado da Comunidade de Desenvolvimento da África Austral (SADC);

Minhas Senhoras e meus Senhores,

Em nome do Conselho de Administração do Banco Nacional de Angola, em particular do Governador José de Lima Massano, desejo a todos boas-vindas à reunião do Subcomité de Mercados Financeiros do Comité de Governadores dos Bancos Centrais da SADC.
 
É uma honra recebê-los no nosso país, particularmente na acolhedora cidade de Benguela. Esperamos que, para além da participação neste evento, tenham algum tempo para conhecer os encantos desta linda cidade angolana e que possam beneficiar da hospitalidade do nosso povo.

Desde o estabelecimento do Subcomité de Mercados Financeiros do CCBG, todos os anos nos reunimos, rotativamente, num dos países membros, a fim de dar continuidade à nossa modesta contribuição para o desenvolvimento dos nossos mercados financeiros. No final, esta contribuição deve fornecer uma plataforma para o crescimento económico da região. 

Um mercado financeiro bem desenvolvido e eficiente desempenha um papel importante no crescimento da economia, financiando a acumulação de capital, potencialização dos recursos humanos, adaptação e surgimento de tecnologias inovadoras. E como região, desejamos alcançar um patamar alto de crescimento e de desenvolvimento económicos, razão pela qual aqui estamos, para ajudarmos os mercados financeiros a desempenharem o seu papel de catalisadores.

Assim, no ano de 2019, devemos continuar a observar, a nível regional, um maior aprofundamento financeiro, com a adequação dos nossos sistemas financeiros às melhores práticas internacionais, tanto no que se refere à regulamentação como à sua supervisão. Tal permitirá alavancar o crescimento económico e a integração regional, estabelecendo bases para a diversificação dos sectores produtivos, assim como para parcerias comerciais dentro da nossa sub-região. 

Uma maior integração regional, em termos financeiros, permitirá maior resiliência a choques internacionais como o que afecta grande parte dos países africanos exportadores de matérias-primas desde 2014. 

A realização desta reunião em Angola ocorre numa altura em que o sistema financeiro e bancário, sob supervisão do Banco Nacional de Angola, na qualidade de Banco Central da República de Angola, se encontra num processo de consolidação em termos de reforço dos requisitos mínimos de capital e de fundos próprios regulamentares, mas, igualmente, de adequação às normas e padrões internacionais de prevenção e combate ao branqueamento de capitais e ao financiamento do terrorismo. Tal exige dos operadores do sistema financeiro o reforço do controlo interno de riscos, ou seja, um melhor conhecimento dos seus clientes e da natureza das suas operações.

A realização deste tipo de eventos é também um momento oportuno para aprendermos uns com os outros, uma vez que cada um de nós está em diferentes níveis de desenvolvimento em muitas áreas. Estas reuniões além de se concentrarem na convergência dos mercados financeiros regionais, também oferecem uma oportunidade para podermos crescer juntos.

Tenho a certeza de que cada um dos participantes, e todos os países aqui representados, irão beneficiar dos debates, certamente positivos, que ocorrerão nesta magna reunião. 

Para terminar, minhas senhoras e meus senhores, desejo ao Subcomité deliberações activas e construtivas. 
A todos formulamos votos de uma agradável estadia em Angola.

Muito Obrigado pela vossa atenção.