Notícias

24 de Outubro de 2018

Discurso de Abertura do Governador do Banco Nacional de Angola, José de Lima Massano, no IV Encontro de Auditoria, Gestão de Risco e Compliance dos Bancos Centrais dos Países de Língua Portuguesa - BCPLP


Exmo. Senhor Governador Provincial da Huíla;

Senhores Membros do Conselho de Administração do Banco Nacional de Angola;

 
Ilustres Delegados dos Bancos Centrais da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa;
 
Estimados representantes dos Bancos do Sistema Financeiro Angolano; 

Caros representantes do IIA Angola;
 
Senhores Directores, Delegados Regionais e trabalhadores do Banco Nacional de Angola; 

Minhas Senhoras e Meus Senhores;

Permitam-me, antes de mais, em nome do Conselho de Administração do Banco Nacional de Angola, endereçar os nossos cumprimentos e dar as boas-vindas a todos os membros das delegações aqui presentes e, particularmente, aos palestrantes que aceitaram o desafio de partilhar connosco as suas experiências.

Manifesto também a nossa profunda satisfação e honra em acolher aqui, na cidade do Lubango - Província da Huíla, este IV Encontro de Auditoria, Gestão de Risco e Compliance dos Bancos Centrais dos Países da Língua Portuguesa.

Espero que todos tenham feito uma boa viagem e desejo-lhes uma óptima estadia.
Estimados Colegas;
Caros Convidados;

Há dez anos o mundo viveu a maior crise financeira e económica desde 1929 que teve enormes consequências no plano económico e social, cujos efeitos ainda hoje se fazem sentir.   

Essa crise veio expor, de forma clara, os riscos a que estão sujeitas as instituições financeiras e as consequências de uma gestão inadequada desses riscos para o sistema financeiro e para a actividade económica em geral, evidenciando a necessidade de reforço dos modelos de governação corporativa e controlo interno. 

Embora os vários países da CPLP tenham vivido a crise financeira de forma diferente e as realidades e desafios dos sistemas financeiros de cada país sejam diversos, bem como o ritmo das mudanças regulatórias, o caminho a seguir para criar um sistema financeiro mais robusto e resistente e evitar a repetição da crise financeira de 2008 e as suas consequências, está, em traços gerais, melhor definido.

No contexto de Angola, o Banco Nacional de Angola, tem vindo, nos últimos anos, a reforçar o quadro regulamentar com o objectivo de instituir a implementação de modelos adequados de governação corporativa e controlo interno nas instituições financeiras sob a sua supervisão, através da publicação de regulamentação sobre os vários temas em debate neste IV Encontro de Auditoria, Gestão de Risco e Compliance dos Bancos Centrais da CPLP.  

Ao mesmo tempo, tem vindo também a alterar o seu próprio modelo de governação e de controlo interno, com o objectivo de melhor responder aos desafios colocados pelo sector.
  
Entretanto, é também necessário reconhecer que, independentemente dos níveis diferentes de desenvolvimento, o sector financeiro, na sua generalidade, continua a apresentar muitos desafios, exigindo da parte dos reguladores e supervisores uma atenção mais permanente e concentrada de forma a manter a regulamentação sobre a governação corporativa e controlo interno actualizada e relevante, e assim assegurar a resiliência do sector e o apoio esperado à dinâmica de desenvolvimento das economias e sociedades. 

Nesta conjuntura de mudanças e desafios constantes e de exigências cada vez maiores, a reunião de instituições de realidades e com experiências diversas torna a discussão dos temas inscritos no programa deste IV Encontro uma mais-valia para todos os seus participantes. 

Assim, é com agrado que o Banco Nacional de Angola acolhe este Encontro, pelo que sem mais demora, desejo a todos os presentes um encontro proveitoso.

Espero ainda que possam desfrutar da beleza e encantos da cidade do Lubango e que no final tenham todos um bom regresso aos vossos países.

Com estas palavras, declaro aberto o IV Encontro de Auditoria, Gestão de Risco e Compliance dos Bancos Centrais da CPLP.